Web site da Dra. Paula Pinheiro
Apresentação Protocolos & Convenções Contactos
Home Page

PSICOLOGIA EDUCACIONAL - Dislexia

PSICOLOGIA CLÍNICA

> Adultos

> Casal

> Crianças e adolescentes

PSICOLOGIA ÁREA EDUCACIONAL

> Avaliação e intervenção

> Dislexia

> Programas

NEUROPSICOLOGIA

FORMAÇÃO

Definição de Dislexia

“Dificuldade duradoura da aprendizagem da leitura e aquisição do seu mecanismo, em crianças inteligentes, escolarizadas, sem qualquer perturbação sensorial e psíquica existente” (Victor da Fonseca, 1999)

Assim, a dislexia consiste numa perturbação da leitura e escrita que ocorre em crianças com características cognitivas e desenvolvimentais adequadas à sua idade, ou seja, a criança tem um desenvolvimento físico, intelectual e emocional adequado ou superior à sua faixa etária.

A dificuldade pode ser acompanhada por Disgrafia (letra imperceptível); Disortografia (dificuldade ao nível da produção de texto bem organizado) e Discalculia (dificuldade ao nível da escrita de números e das operações numéricas), nas quais a intervenção também deverá incidir.

As dificuldades apresentadas pela criança, a médio prazo, têm impacto a nível da sua auto-estima, aumentando os níveis de stress e frustração a quando dos momentos de avaliação escolar ou leitura. Assim, é fundamental a intervenção mais precocemente possível para corrigir e promover a autonomia da criança relativamente às suas dificuldades da leitura e escrita.

Sinais (Resumo)

  • Inversão das letras;
  • Erros quando a criança copia um texto;
  • Omissão de letras ou palavras;
  • Persistência nos erros ao nível da leitura e ortografia;
  • Confusão ao nível da diferenciação de letras como b/d; p/q; u/n... ;
  • Omissão, Inversão e/ou adiciona letras como cubido – bicudo; dral – ladra; borboleta – bolota...;
  • Leitura hesitante, silábica e mecânica;
  • Ao nível da Escrita:
  • -Produção de letras isoladas e/ou em espelho,
  • -Omissões, inversões de letras, sílabas ou palavras,
  • -Dificuldade em separar os elementos que compõem a frase.

Recomendação para a 1ª Consulta:

Levar trabalhos e informações escolares relevantes.

Reeducação

Sabemos que uma criança disléxica será um adulto disléxico, contudo a autonomização da criança é uma realidade e este é o objectivo principal da Reeducação.

Neste caminho para autonomização o principal objectivo, para os intervenientes no processo de reeducação, consiste no fornecimento de estratégias de compensação e promoção de adaptações curriculares tendo em conta cada caso.

No processo de Reeducação, a criança é o principal actor, dando-se ênfase a estratégias activas que permitirão a gestão das suas próprias dificuldades, tornando a criança mais consciente das áreas onde residem as suas dificuldades e desenvolvendo capacidade de auto-correcção.

Por seu lado, o papel do psicólogo que intervém neste processo, para além de delimitar e implementar as estratégias de intervenção, deve ser o orientador e motivador da utilização das adaptações e implementação de técnicas nos diferentes contextos e junto dos principais intervenientes – pais e professores.

site map
ir para o web site da Sistémicos Projectos ir para o web site da Medicil